sábado, 1 de março de 2008

De Chegada - Jari Terres

Buenas amigos!

Hj começo a escrever com o coração pontiando os cascos dos dedos.
Sabe aquela canção que a gente escuta uma vez, e às vezes, só um trecho nos aprisona o coração, nos embriaga a alma...
É... dessas ...

Pois entonces, mal rodou na vitrola por aqui e meus pensamentos começaram a digavar, balançando no palpitar do coração, viajei, andei, sonhei, construí...

Resolvi postar aqui essa cancione e quem tiver curiosidade é só dar "stop" no player de cima e clicar no "play" do player abaixo e claro, acompanhe a letra abaixo.

Boa semana à todos

Tenho Dito!



DE CHEGADA
Jari Terres



Meu galpao anda mais triste
chorando mágoas à toa
com seus olhos de vidraça
molhados pela garoa

No seu silêncio de sempre
vela, cuia e uma cambona
que também sentem saudades
das mãos pequenas da dona

Eu ando um pouco mais quieto
do que preciso hoje em dia
meu silêncio vem do peito (bis)
de reclamar nostalgia


Sou Eu mesmo desses tempos
pois meu sonho anda disperso
e quando me dá saudades
transformo elas num verso

Se acaso meus olhos tristes
olharem os teus repente
vão descobri mesmo tarde
o que se perdeu da gente

Por isso depois dos mates
muito longe desta estrada (bis)
esperando teu sorriso
de retorno viajeiro de chegada

1 Comments:

Anonymous Ander-Paraná said...

Buenas amigo, não sei se tu ainda , mexe neese blog, nem se está vivo, mas essa canção , fez comigo o que fez com você, uma vez que a ouvi, e ela simplesmente se tornou parte da minha vida, também ganhou o posto de uma de minhas músicas gaúchas preferidas de todos os tempos, até qualquer encontro gaudério

29 de setembro de 2010 17:07  

Postar um comentário

<< Home

<BODY>